segunda-feira, junho 07, 2010



alma de poeta
Queria tanto ver te amor meu
tanto quanto pude desejar
Quisera o tempo fosse étero tal qual tua diafana imagem que não posso tocar
Quisera teu lábios junto aos meus ouvidos e que eles cantassem as mais belas melodias de amor
Mas o tempo te exige e assim apenas te espero



Poeminha pra matar saudades de minha alma de poeta.
Depois do frio louco de ontem, fui desenferrujar na praia!!!


Sim, estava ventando um pouco mas ao meio dia não estava frio!


Nada como uma caminhada pra espantar os agasalhos e moletons , de seu visual!!!
Amanhã, tem mais!

4 comentários:

Jacaré Molhado disse...

Agradáveis maneiras de olear: compondo e lagarteando!
bjs

Lulu on the Sky® disse...

Quem dera um praia, mas com essa friaca tá dificil. Lindo poema Ma. Big Beijos

Fernanda Freitas disse...

Amiga, tu é tão ensolarada, que nem inverno apaga esse sol. Inverno de clima e da vida. Rá. Minha inspiração!

Engraçadinha disse...

Não valia entrar na água né? Aposto q estava dando cãibra!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...